Leitura 11# - Ugly Love - Coolleen Hoover

Leave a Comment
Ugly Love





Autora: Colleen Hoover
Editora: Ainda não publicado no Brasil
Páginas: 336
Ano: 2014
Avaliação: 4/5



Eu adoro os livros dessa autora, ela sempre consegue equilibrar tragédias, romance, cenas quentes e muito drama. Com Ugly Love não foi diferente, ele nos traz a história de Tate e Miles. Tate esta com seus 20 e poucos anos, ela se muda para o apartamento do irmão Corbin em São Francisco até que consiga se estabelecer na cidade, faz mestrado de enfermagem e logo consegue um emprego no hospital, ela é forte, independente sempre sabendo o que quer. Miles trabalha com o Corbin em uma companhia aérea,  são pilotos de avião, ele  gosta de poupar suas palavras, misterioso e com um passado sombrio que faz com que ele se afaste emocionalmente de qualquer garota. Quando o destino deles se cruzam a atração que sentem um pelo outro é devastadora, mas Miles tem muita dificuldade em quebrar a muralha que o separou desse mundo, então para facilitar as coisas entre eles ele cria duas regras. "Nunca pergunte sobre o passado" e nunca pense em um futuro". Mas é lógico que não é tão fácil assim manter essas regras.

Ele é narrado por capítulos intercalados entre Tate e Miles, só que os dele em grande parte são retrospectivas sobre o que aconteceu com ele a seis anos atrás. Confesso que fiquei um pouco incomodada com os dele, achava  meio melosão demais para um cara, e na minha opnião quebrava um pouco o clima dos capítulos da Tate, minha vontade era sempre pular os dele e ficar só com ela. Achei legal o fato da Colleen Hover escrever os dele como se fosse uma daquelas competições de slamm em Métrica, mas deixava em um clima exagerado, meio Shakespeariano, destoava bastante com o clima quente que havia entre eles nos capítulos dela, apesar disso ainda dava para perceber que havia uns resquícios desse romântico em Miles quando ele estava com a Tate.

Existem outros personagens secundários que estão mais para terciários de tão pouco destaque, com exceção é claro do Cap, um senhor de 80 e poucos anos que é o porteiro do prédio e se torna amigo e confidente de Tate. Não encontrei nenhuma noticia de que esse livro faça parte de uma série onde cada um vai ter o seu, então acho que a autora não quis mesmo se aprofundar em mais nada que não os dois pombinhos.

Esse não foi meu predileto da autora, na verdade foi o que menos gostei, eu sei pareci bem animada com ele e dei uma avaliação de 4/5. A verdade é eu que achei ele mais viciante do que bom, eu não conseguia para de ler, eu queria saber o que ia acontecer e , enquanto  não terminei  não parei, li em uma noite, então os créditos têm de ser dados à ela. As cenas picantes são maravilhosas, muito bem descritas. Aconteceu uma coisa comigo nesse livro que quase nunca acontece, eu gostei mais da garota do que do garoto, ela é tão verdadeira, não fica cheia de mimimi, mesmo ele empurrando-a ela acredita que ele gosta dela, não fica fazendo docinho.Mas faltou alguma coisa, acho que o final foi bem morno, esperava um ápice vulcânico que nunca veio. O Miles me irritava também sempre com aquelas regras o tempo todo, super corta-clima, ao mesmo tempo que ele era um fofo já vinha com gelão. Por incrível que pareça ,eu que odeio triângulos amorosos, acho que um aqui ia ser bem vindo, tenho certeza que nosso pilotão iria se agilizar. 




Como todos os livros dessa autora, não podia faltar uma tragédia, ela adora um drama e aqui não é diferente, o tempo todo você meio que sabe o que aconteceu mas ela só revela mesmo perto do final. Mesmo com esses pormenores eu recomendo, é uma ótima opção para quem procura um romance quente e um pouco dramático.

E eu vi também no facebook da autora que os diretos foram vendidos e o ator que interpretará já foi até escolhido, será o Nick Bateman,esse modelo/ator canadense feioso das fotos ao lado,nada mau não?

Leitura 10# Como Eu Era Antes de Você - Jojo Moyes

Leave a Comment
Como Eu Era Antes de Você







Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Avaliação: 5/5.


Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.
 Não quero falar sobre a história em si desse livro, mesmo porque não há muito mais o que falar além da sinopse a cima sem estragar a leitura. Eu gostaria mesmo de falar o quanto esse livro mexeu comigo, ele me abalou de um jeito que nenhum outro conseguiu.

Manteiga derretida assumida eu sou mesmo, mas esse livro foi além, a Jojo Moyes vai construindo aos poucos os laços entre os personagens, vai tornando tudo tão natural que quando percebemos já estamos envolvidos demais em toda sua teia. Os personagens são tão verdadeiros quase palpáveis, você consegue entender todos os dramas, e aceitar as escolhas e revoltas numa naturalidade surpreendente. O Will é tetraplégico,  debilitado, mal-humorado mas mesmo assim é impossível não se apaixonar por ele, já em contrapartida a Lou é uma maluquinha, ela é forte e perseverante,  no começo fica um pouco intimidada mas depois responde Will a altura.

Apesar de toda essa carga dramática, que parece que a todo momento pode acontecer o pior ou o melhor, o livro tem muito humor, dei muitas risadas também. Foi sem dúvida uma montanha russa de emoções. Até o finalzinho mesmo eu não sabia o que esperar e  seja qual fosse o final eu não ia querer matar a autora por isso, porque ela conseguiu mostrar o tempo todo os pontos de vista claros, mesmo o livro sendo em primeira pessoa.


A tempos atrás eu li uma noticia que ele vai virar filme e os protagonistas seriam a Emilia Clarck (nossa queria Daenerys Targaryen no GOT) e Sam Clafin.(o TudoDeBom Finnic Odair de Jogos Vorazes). Então, enquanto lia não conseguia imaginar nenhum outros corpichos para Lou e Will, a escolha na minha opinião é perfeita.




Eu super recomendo esse livro a todos, ele é maravilhoso, fiquei meses com ele na cabeça, eu acordava no meio da noite, para vocês terem uma idéia, e ficava revivendo tudo na minha mente. Tenho até medo de ler outros livros dessa autora e perder todo o encanto por ela, mas tenho certeza que quando me recuperar deste eu parto para devorar todas as suas outras obras. Leiam! Leiam! Leiam!

Leitura 09# Se Vivêssemos em Um Lugar Normal - Juan Pablo Villalobos

Se Vivêssemos Em Um Lugar Normal



 Autor: Juan Pablo Villalobos
 Editora: Companhia das Letras
 Ano de Publicação:2013
 Titulo Original: Si viviéramos en un lugar normal
 Páginas: 153
 Avaliação:3/5

Que livro louco. Sério, muito louco. Quando terminei a leitura fiquei com aquela sensação de choque, não sabia se tinha gostado ou odiado. O final mesmo é a loucura da loucura.

Mas vamos pelo começo. Ele é narrado em primeira pessoa por Orestes um menino de treze anos, filho de um professor de escola pública, uma mãe bem estereotipada no estilo "mãezona", e que tem como irmão mais velho Aristóteles e os mais novos são Arquíloco, Calímaco, Electra e os gêmeos (que eles chamam "gêmeos de mentira" pois são gêmeos com aparência diferente) Castor e Pólux.

Só por esta breve introdução já da para perceber o tipão da família. Eles moram em um bairro chamado Puta Que Pariu situada na cidade de Lagos (México). Orestes vai contando sobre o cotidiano deles, em como a casa, apelidada de caixa de sapatos, foi ficando pequena a cada novo irmão que nascia, como é a guerra na hora da comida para ver quem consegue pegar mais quesadilhas, como a falta de dinheiro interferia no tamanho delas, e outros fatos corriqueiros, até que  um acontecimento muda toda essa rotina e o que era ruim pode ficar bem pior.

Fica claro que o autor quis dar uma cutucada na sociedade mexicana, em como há famílias esquecidas, no grande abismo entre ricos e pobres, como o lado mais fraco sempre é prejudicado  e como a luta pela sobrevivência começa é dentro de casa. Ele usa muito humor acido, cinismo e sarcasmo para contar os apuros que essa família passa.

Em alguns momentos o Orestes me chocou, pela pouca idade ele tem uns pensamentos bem egoístas e as vezes sinistro. Mas nada surreal também, é que foi uma verdade tão crua que foi espantoso para mim, mas acredito que existem muitos Orestes por ai.

Acho que não é todo mundo que vai gostar desse livro, o autor usa  um linguajar bem rebuscado no meio de vários palavrões, a história em si é uma loucura absoluta, o final como mencionei acima é maluco total, mas sem dúvida acho que vale a pena experimentar porque ultimamente eu tenho a impressão de ler vinte livros e depois não sei qual é qual, as histórias são tão parecidas que sempre pego um personagem de um e acho que esta no outro e assim por diante. 

Originalidade sem duvida é a palavra chave aqui, tudo nesse livro é diferente e incomum.

Leitura 08# Dominic - L. A . Casey.

Dominic



Serie: Slater Bhrothers 01#
Autora: L.A. Casey
Editora: ainda não publicado no Brasil
Ano: 2014
Avaliação: 3/5


Depois que um acidente de carro matou seus pais quando ela era criança, Bronagh Murphy escolheu se afastar das pessoas em um esforço para se proteger da dor futura. Se ela não fizer amizade com as pessoas, falar com eles ou reconhecê-los de alguma forma, eles a deixam sozinha como ela quer.
Quando Dominic Slater entra em sua vida, ignorá-lo é tudo o que ela tem que fazer para chamar a atenção dele. Dominic é acostumado à atenção, e quando ele e seus irmãos, se mudam para Dublin, Irlanda, para o negócio da família, ele não ganha nada, exceto atenção. Atenção de todos, exceto da linda morena com uma língua afiada.
Dominic quer Bronagh e a única maneira que ele pode chegar até ela, é arrastando-a do canto da caixa que ela se aprisionou da única maneira que ele sabe... pela força.

 Olha, quando eu vi o povo comentando que o Travis (Belo Desastre) era um lunático, paranoico de sangue quente eu achei um pouquinho de exagero, então quando li as resenhas sobre esse livro pensei que podia ser a mesma coisa, mas vou falar, Dominic é totalmente surreal, beira a assustador. Se ele não fosse esse lindo/tesão/bonito e gostosão, sem duvida ele seria visto com um psicopata.

Demorei um pouco para simpatizar realmente com ele, ele é muito grosso, mas não um grosso tipo o Rush ( Paixão sem limites ), só para se ter um ideia ele fica chamando ela de vadia e puta quase o livro todo, na frente de qualquer um, por qualquer coisa.

A Bronagh ( que P**** de nome é esse), também não foi uma das minhas protagonista prediletas, para um menina que nunca queria chamar a atenção (característica que ela ficava lembrando a cada capitulo) ela sempre tinha discussões tórridas, nível barraco total by Casos de Família. Eu achei um exagero as discussões deles,  a todo momento agredia ele fisicamente por umas coisas meio toscas. Sem falar da bunda dela, Jesus, a cada pagina temos que ler o quanto a busanfa da menina é imensa, quanto todos olham, todos tiram sarro, todas as roupas ficam super apertada e blá blá blá....Socorro eu fiquei pensando se ela não é aquela garota do clipe Kiss do Cris Brown!

Acho que o livro tinha tudo para ser ótimo, mas na minha opinião a autora errou um pouco (muito) na mão, dei 3 porque apesar dos pesares o livro tem agilidade, e as cenas de sexo são salvadoras.

Quero deixar claro que nunca me importo com palavrões em livros, muito pelo contrario, detesto quando na tradução vem um "vá se danar" quando no original é "vá se foder seu filho da puta miserável" . O que me incomodou mesmo foi a falta de respeito, é um exagero esse super ódio instantâneo que eles sentem um pelo outro, foi forçado.



Leitura 07# - Esposa 22 - Melanie Gideon






Titulo: Esposa 22
Titulo Original: Wife 22
Autora: Melanie Gideon
Editora: Intriseca
Ano de Publicação: 2012
Classificação: 4/5

Sempre me perguntei se o que vivemos, o que estamos vivendo no momento ou nossas experiências de um modo geral, interferem na nossa avaliação sobre um livro, com esse livro eu tive certeza que sim. É logico que assuntos novos são sempre bem vindos e podemos absorver de um modo muito positivo, mas nesse livro eu pude me ver na protagonista e foi uma delicia.


Alice esta nos seus 40 e poucos anos, vivendo em um momento morno do seu casamento de 20 anos e com um emprego mediano de meio período em uma escola publica. Seus filhos estão iniciando a adolescência, a filha mais velha ela praticamente já "perdeu", e o mais novo é o único companheiro dentro de casa.


Ela sente que sua vida esta um tédio, até que um dia ela abre sua caixa de e-mail. Na pasta de Spam tem um  do Centro Netherfield dizendo que ela foi selecionada para participar de uma pesquisa sobre o casamento do século XXI. Na hora esse e-mil passa para caixa de entrada e ela aceita o desafio.


Então ela se torna e Esposa 22 (para manter a privacidade e os dados pessoais de quem participa da pesquisa) e começa a se comunicar com o Pesquisador 101. No decorrer do livro ele vai enviando as perguntas. Para nós leitores só aparecem as respostas, mas a maioria da para matar logo de cara quais são as questões. E lá pela metade do livro eu percebi que as perguntas estavam la nas ultimas páginas, mas abafa....Eu adorava tentar adivinhar quais eram as peguntas para aquelas respostas na maioria das vezes muito divertidas.


Com o tempo agente vai entendo o que aconteceu com essa família, como ela e seu marido Willian se conheceram e se apaixonaram, e vamos descobrindo junto com Alice como o tempo e o cotidiano podem deixar um relacionamento tão quente em um tipico "piloto automático".


Apesar da protagonista ser praticamente 20 anos mais velha que eu, pude me identificar bastante com ela. Os flashbacks da gravidez, dos filhos pequenos e inicio de casamento que é bem o momento em que estou passando. 



Outro ponto bem legal é que o livro é cheio de troca de e-mails divertidos entre ela e o Pesquisador 101, tem muitas entradas no Facebook, algumas no Twitter. O que por um lado deixa o livro bem dinâmico pode talvez ficar meio ultrapassado daqui a alguns anos. Mas penso também que fosse ICQ, bate-papos do Uol ou Messenger ficaria igualmente divertido só ia mudar a plataforma.


Não sei dizer se esse livro é para todas as idades e gêneros, posso estar errada, é logico que o mais variado tipo de pessoa pode se divertir com a leitura, mas não sei se realmente vão "enxergar" esse ponto de vista da Alice.

Leitura 06# - Ultimo Sacrifício - Richelle Mead

Leave a Comment







Título: Ultimo Sacrifício
Autora: Richelle Mead
Editora: Agir
Classificação: 3/5


 Esse livro me deixou com uma sensação muito estranha. Eu fiquei dividida entre o que eu gostaria que acontecesse e o que deveria acontecer. 

Essa resenha contem SPOILERS dos livros anteriores...

Primeiramente eu não esperava que o Dimitri fosse curado já em Laços de Espirito, fiquei muito surpresa quando isso aconteceu porque achava  que a cura mesmo ia ser dada aos 40 min do segundo tempo, ou seja, lá pelo final de Ultimo Sacrifício. Quando ela ocorreu, eu fiquei pensando: "tá e agora o que ela vai inventar para o próximo livro??"

Bom o que ela inventou foi que nesse livro  Rose e sua "equipe" tentam uma forma de livra-la das acusações em que se meteu no livro passado. Não bastasse isso, ela descobre que pode ajudar sua melhor amiga Lissa indo atrás de uma pista que mostra que talvez ela não seja a última Dragomir.

Basicamente eles se dividem em dois grupos, Rose e Dimitri acabam saindo da corte e mais tarde se juntam a alquimista Sydney entre outros no decorrer do caminho. E  Lissa, Adrian, Chistian, Abe, Eddie e Mikhail ficam na corte, tentando descobrir quem é o real assassino e livrar a pele da Rose.

Eu fiquei um pouco decepcionada com a relação entre Rose e Dimitri. A todo momento vinha alguém e estragava o clima dos dois, as coisas entre eles acontecem muito devagar, eles vão reconstruindo a relação MUITO aos poucos. Se você como eu, achava que tudo ia ser lindo e maravilhoso, não se engane, a coisa aqui vai a passos de tartaruga. Mas depois de um tempo eu entendi aquilo, realmente não podia ser tudo tão rápido ia ficar meio forçado. Dimitri fez muitas coisas erradas princialmente com Rose e a culpa o atormenta. Mas imaginei que ia ser alguma coisa mais épica, sei lá...

O final de Rose com Adrian foi real, não teve muitas coisas mirabolantes, nem borboletas lindas voando no céu. Teve bate boca, barraco, bem a cara dos dois mesmo.

Achei que ficaram umas pontas soltas muito importantes, não entendi porque a autora colocou na história se não desenvolveu depois, como os "conservadores". Na minha opinião eles deveriam ter aparecido em algum livro anterior e terem tido um final mais digno. Me simpatizei bastante com essa "tribo" de vamps!
O grande assassino foi meio estranho para mim, me surpreendeu um pouco, e acho que a autora só escolheu essa pessoa para surpreender mesmo, teve suas explicações mas não me convenceu totalmente não.

É lógico que eu recomendo esse livro, se você já leu os cinco é óbvio que tem que ler esse. Sempre recomendo essa série para quem gosta de vampiros. A minha dica é que você não leia esse livro pensando que vai ser uma nova lua de mel entre Rose e Dimitri, as cenas "românticas" são poucas e curtas, achei que ele fechou bem a série, mas a frustração me dominou quase o livro inteiro. 

Como a maioria já deve saber , o primeiro livro dessa série O Beijo das Sombras virou filme e vai estrear esse ano dia 14 de Fevereiro nos EUA, sem previsão no Brasil. Eu estou morrendo de medo desse filme, achei meio tosco esse trailer, nunca que essa era a Rose da minha cabeça, o Dimitri eu preciso de menos esforço para acreditar, mesmo assim não me convenceu muito. Segue o trailer aqui em baixo:


Leitura 05# - The Vincent Boys - Abbi Glines

Leave a Comment
The Vincent Boys






Titulo: The Vincet Boys
Autora: Abby Glines
Editora: Não foi publicado no Brasil
Avaliação: 3/5

Sempre ouvi falar muito desse livro, nunca tinha lido nada da Abbi Glinnes, achei a capa e a sinopse divertida e resolvi ler. Toda a trama se mostrou simplória demais, ela é um clichê puro e não foge em momento nenhum disso. Mas.....sempre tem um "mas"...hehehhehe, um dos protagonistas me conquistou tanto que a leitura valeu a pena.

Somos apresentados aos primos Beau e Sawyer que têm como amiga de infância a Ash. Quando eles crescem e se tornam adolescentes Ash começa a namorar Sawyer e a amizade entre ela e Beau praticamente se extingue. Até que um dia Sayer vai acampar com sua família. Ash e Beau se aproximam e a antiga amizade vai se tornando uma paixão avassaladora.

O Sawyer é o certinho do triangulo, ele é o namorado perfeito, o aluno prefeito, o esportista perfeito. Para mim ele não fede nem cheira, em alguns momentos a unica coisa que sentia sobre ele é pena por ser tão enganado, mas em outros eu pensava : "mas voce tá pedindo né meu bem?".

A Ash ela não é nem metade da garota que ela pensa que é, a todo momento ela se afirmava uma pessoa que faz e acontece, mas na hora do vamos ver mesmo ela se encolhia completamente. Ela é descrita como uma menina moleca, sem muitas frescuras, e cheia de atitude, mas tudo isso foi só teoria mesmo, na prática teve muitos momentos que até uma pessoa totalmente sem atitude imagino que reagiria.



Beau é o esteriótipo de bad boy, e mesmo que agente se esqueça a Ash nos lembra a cada pagina, mas na minha opinião ele salvou o livro, ele sim faz e acontece, não tem vergonha de ser quem é, do que faz e nem de quem ama.Ele diz o que pensa, vai atras do que quer, vai direto ao ponto. Se não fosse por ele acho que teria desistido do livro, e só por ele que acabei dando nota 3. Serio ele sim é perfeito.

O livro é super simples, eu indicaria para aquele momento em que você acabou de ler um livro bem dramático, ou um em que te deixou muito frustrada no quesito romance, porque aqui rola bastante e de uma forma muito fluida e rápida.

Leitura 04# - Louca Por Você - M. Leighton

Louca por Você





Titúlo: Louca por Você (Bad Boys 1#)
Autora: M. Leighton
Editora: Record
Avaliação: 3/5 



O livro nos conta a história de Liv (Olivia), uma garota que foi abandonada pela mãe e que se esforça para poder pagar a faculdade de contabilidade e poder cuidar de seu pai quando se formar.Por ter um orçamento bem apertado, ela não tem condições de morar sozinha, então vai dividir o apê com sua prima linda-rica-maravilhosa e megera, Marissa.

Seu histórico de garotos não é dos melhores, se envolveu apenas com bad boys que partiram seu coração.

Certo dia em um momento um pouco inusitado ela acaba conhecendo Cash, a atração física entre eles soltam faíscas no ar. Mais tarde acaba encontrando Marissa com ele, e na verdade descobre que não realmente ele, mas sim Nash seu irmão gêmeo. Nash é tudo que ela precisava em um cara, ele é certinho, é estagiário em um dos melhores escritórios de advocacia de Atlanta, aquele cara que passa segurança em todos os aspectos.



Eu não sou a maior fã de triangulo amoroso, sempre fico odiando a garota por ficar se biscateando para dois caras, e sempre detesto algum dos dois.Mas neste livro a autora te confunde tanto, eu fiquei praticamente o livro todo apaixonada pelos dois. Foi me dando uma agonia, quando ela estva com Cash eu pensava :"ahh mas tem que ser ele", quando ela estava com Nash "ahhh não, é o Nash que ela tem que escolher"....kkkkkkkk.... sério essa autora confundiu meus miolos.


Algumas coisas me incomodaram. Primeiro que a Olivia é MUITO maravilhosa e irresistível para o meu gosto, sério, todos os homens que vêem ela já ficam babando. Mas para mim esse ainda não é o problema maior,porque realmente existem mulheres que deixam a maioria dos homens de queixo caído.O pior é que ela tem Síndrome da Bella(Crepusculo) "eu sou tão sem graça e desengonçada"...aff ninguém merece. Mas na grande maioria das vezes ela é bem engraçada, e tem umas tiradas boas.
Outra coisa foram os personagens secundários, eles são pouco elaborados, entendo que a autora quis dar ênfase mesmo é nos pombinhos, mas achei meio sem noção uma garota que se diz tão super preocupada com o pai ir visitá-lo umas duas vezes.


Olha tem muito sexo nesse livro, não recomendaria para menores de 18, como coisa que só acima dessa idade é que uma pessoa sabe/faz sexo,kkkkkkkk. Mas é sério, e diferente de muitos Jovens Adultos que estão saindo por ai, o negocio não esfria depois que rola a primeira vez não, a parada se mantém pegando fogo mesmo.

O livro é bem leve, li rapidinho em um dia, não é nada para filosofar sobre o universo é só entretenimento mesmo. Ele tem drama, diversão, muito amor e algumas surpresas.

Leitura #03 - Métrica - Collen Hoover

Leave a Comment






Título: Métrica (Slammed #1)


Autor: Collen Hoover
Editora: Galera Records
Avaliação: 5/5

Métrica nos traz a historia de Lake, uma menina que acaba mudando de casa, estado e consequentemente de vida após a morte de seu pai. Ela, sua mãe e seu irmão mais  novo começam essa difícil etapa na vida que é viver com o  luto.
Assim que chegam na nova casa ela conhece Will, seu vizinho lindo e seu irmão mais novo Caulder, que assim que avista Kel ( o irmãozinho de Lake) se tornam melhores amigos. Esses vizinhos  vão ajudar essa família a superar essa fase tão delicada. 
Lake e Will de cara já se sentem atraídos, e Will a mostra um mundo diferente, cheio de poesia e emoção, ele a apresenta ao Slam,  um tipo de concurso de poesia que tem nos EUA, ela fica encantada, mas nem tudo são flores e alguns problemas aparecerão para atrapalhar os pombinhos.

Não quero contar muito da história para não ser estraga prazeres,e tenho a impressão de que nada que eu diga vá ser digno desse livro, ele é tão sensível, tão tocante.
Eu tinha lidos algumas resenhas dizendo que as poesias eram lindas, e como uma boa curiosa que sou fui dar uma espiadinha..... Me decepcionei bastante, tinha achado bem nada a ver e não consegui achar a emoção da coisa.
E por incrível que pareça acho que foi a melhor coisa que eu fiz. Eu sei que é estranho, mas não fiquem confusos, é isso mesmo e eu vou explicar. Quando rola muita mídia sobre um livro dá aquele medinho básico que não seja essas coca cola toda não? Pois é, minhas expectativas estavam la em cima
e o medo da decepção também. Então quando li e não curti muito as poesias já achei que não ia gostar e comecei a ler sem esperar de mais dele. E foi maravilhoso, sem duvida foi a melhor leitura de 2013.
Ele te toca de um jeito diferente, ao mesmo tempo que te deixa triste te deixa feliz também. Quando comecei a ler fui percebendo que cada poesia é contextualizada, por isso não vi nada demais, cada uma tem uma história especifica para cada momento e personagem, não são aquelas poesias que servem para qualquer momento à qualquer pessoa.

Apesar de não encontrarmos muitos personagens eles são bem marcantes, os pequenos Cauder e Kel são as estrelinhas, super divertidos e fofos, eles dão um equilíbrio por serem tão divertidos em uma trama tão dramática. 
Eddie, a sua  amiga (é eu sei,caraca que nome de mulher é esse?) é super divertida e tem também sua dose de drama na vida. Júlia, a mãe de Lake vai nos mostrando no decorrer dos fatos a sua força, apesar de tudo é uma super mãe, sempre fazendo as loucuras que seu filhinho quer, dando seus conselhos, é aquela mãezona mesmo..
Lake é uma protagonista sem muito mimimi, ela tem seus momentos mas eu consegui entender. E Will é de longe o esteriótipo de mocinho que eu gosto, ele é muito certinho e "manso".....kkkkkkk.....eu sei que é uma palavra meio esquisita para qualificar alguém, mas não consegui achar nada melhor, quem ler o livro vai entender, em vários momentos eu desejei que ele tivesse uma "pegada" maior.Mesmo sendo deste jeito ele me conquistou, não sei se existe um homem assim tão sensível, mas foi uma delícia conhecê-lo.

Nem tudo são maravilhas nesse livro, achei o final  apressado demais, me senti assistindo aquelas comédias românticas da sessão da tarde onde tudo se arruma na ultima cena, na minha opinião ficou corrido. Teve também algumas "coincidências" que forçaram um pouco.

Apesar dessas considerações eu dei a nota máxima pelo tanto que o livro me surpreendeu e mexeu comigo, ele é cheio de clichês, mas ao mesmo tempo é diferente. A vida real também é cheia de clichês, não? Acho que é meio difícil escrever um romance sem nenhum.
Mais que recomendo! E esperando ansiosamente pela continuação Pausa.

Seque a baixo um vídeo de Slam, está em inglês mas dá para ter uma ideia.




Tecnologia do Blogger.